Papaiz

3
fev

A Tomografia Computadorizada Cone Beam aplicada à Implantodontia

A Tomografia Computadorizada Cone Beam (TCCB) tem grande valor no auxílio ao planejamento em implantodontia: além de permitir a observação da morfologia do processo alveolar da maxila e da mandíbula, pode-se obter medidas de sua altura e espessura em tamanho real.       Também em casos de instalação de material de enxertia, a tomografia computadorizada constitui uma importante ferramenta

Leia mais

2
dez

Odontoma e suas classificações atuais

Os Odontomas são atualmente considerados como malformações hamartomatosas, isto é, uma proliferação tortuosa e exuberante de tecidos odontogênicos normais (esmalte, dentina, cemento e polpa). Antigamente, os odontomas eram considerados neoplasias; até então, a prevalência deste tipo de afecção era considerada maior do que todos os outros tumores odontogênicos somados. Os odontomas são usualmente diagnosticados em exames de rotina (devido à

Leia mais

31
out

Tumores Odontogênicos II

Nesta edição do Boletim Científico da Papaiz, continuaremos a discorrer sobre Tumores Odontogêncos: Tumor Odontogênico Ceratocistico e Tumor Odontogênico Cístico Calcificante.   Tumor Odontogênico Ceratocístico   Em 2005, a Organização Mundial da Saúde classificou o então “Queratocisto”, para Tumor Odontogênico Ceratocístico (TOC) ou Tumor Odontogenico Queratocístico, devido ao seu comportamento biológico agressivo e por apresentar alta taxa de recidiva (em

Leia mais

16
set

Aspectos Radiográficos e Tomográficos dos Tumores Maxilo Mandibulares

Por definição, o que caracteriza uma neoplasia –  palavra hoje considerada como sinônimo de tumor – é o desenvolvimento anormal e tortuoso de células de um dado tecido, que cresce incessantemente, mesmo que um provável estímulo que iniciou o processo seja removido. O complexo maxilo mandibular pode ser sítio do desenvolvimento de tumores, sendo que alguns têm origem relacionada ao

Leia mais

25
jul

Radiologia Odontológica e suas aplicabilidades na Periodontia

A doença periodontal é uma infecção bacteriana crônica causada por microrganismos gram-negativos anaeróbicos presentes no biofilme aderido aos dentes. A doença periodontal, de forma lenta, vai progressivamente destruindo o osso alveolar e é, em grande parte, irreversível. As técnicas radiográficas intra orais – especialmente a técnica interproximal – permitem a observação da relação entre a altura (aproximada) da crista óssea

Leia mais

13
jun

Enxertos ósseos – sua aplicação em Odontologia

O tecido ósseo é um tecido conjuntivo especializado formado por células e matriz extracelular calcificadas. Trata-se de um tecido vascularizado, capaz de se modelar ao longo da vida de um indivíduo. A atividade osteoclástica e osteoblástica do organismo, de um modo geral, é dinâmica e mediada por ação hormonal (calcitonina e paratormônio) responsável por manter estáveis os níveis séricos de

Leia mais

2
maio

Tomografia computadorizada aplicada à Endodontia

Dizem que os olhos do endodontista estão na ponta dos dedos porque não é possível, clinicamente, observar a anatomia dental interna; mas é possível “senti-la”. Por esta razão, o endodontista precisa ter visão de raios X: as diversas etapas do tratamento endodôntico só podem ser avaliadas por meio de radiografias periapicais. No entanto, toda e qualquer radiografia sempre nos mostrará

Leia mais

21
mar

Patologias das Articulações Temporomandibulares: DTM

A edição de março de 2016 do Boletim Informativo da Papaiz abordará os aspectos radiográficos e tomográficos das patologias/alterações mais frequentes da Articulação Temporomandibular, bem como seus aspectos clínicos. Para uma recapitulação de tópicos da anatomia e fisiologia da ATM, recomendamos ao colega uma visita à nossa publicação de outubro de 2014 “Articulação Temporomandibular: métodos radiográficos” através do link: https://www.papaizassociados.com.br/articulacao-temporomandibular-metodos-radiograficos/

Leia mais

3
fev

A importância da história clínica para o Radiologista Odontológico

A elaboração de um diagnóstico é um desafio. Inicia-se pelo exame clínico, onde estudamos os sinais e sintomas ante a um determinado quadro clínico. Em outras palavras, alterações anátomo-fisiológicas de uma região são manifestações clínicas (sinais) de uma dada doença, que são perceptíveis ao profissional; já os sintomas são relatos, fornecidos pelo doente (dor, ardor, prurido, etc.). O exame clínico

Leia mais

9
nov

Cisto Ósseo Traumático como achado Radiográfico

O Cisto Ósseo Traumático (COT) ao contrário do que seu nome indica, não possui um recobrimento epitelial característico de lesões císticas, e, por esta razão, esta lesão é classificada como um “pseudo cisto”. O COT pode se apresentar como uma cavidade vazia ou estar preenchida por conteúdo fluido (sero-sanguinolento, por vezes). Esta patologia possui vários sinônimos: cisto ósseo simples, cisto

Leia mais