Papaiz

2
jul

Ameloblastoma – Caso Clínico

Publicação Mensal Interna da Papaiz – Edição XLVIII – Julho 2020 Dr. André Simões, radiologista da Papaiz Diagnósticos por imagem O Ameloblastoma é uma neoplasia benigna de origem no epitélio odontogênico formador do esmalte, com padrão de crescimento localmente agressivo e que recidiva com frequência. É o tumor odontogênico mais frequente, excluindo-se os Odontomas, que hoje são considerados hamartomas (proliferação

Leia mais

8
jun

Radiologia Odontológica Aplicada à Endodontia – XLVII

                Publicação Mensal Interna da Papaiz – Edição XLVII A morfologia radicular e/ou do endodonto pode apresentar um sem-número de variações. O estudo da anatomia externa e interna da raiz (imprescíndiveis ao diagnóstico, plano de tratamento e acompanhamento) só acontece às expensas do arsenal radiográfico, com destaque para as radiografias periapicais e para a Tomografia Computadorizada Cone Beam. Fraturas e

Leia mais

3
maio

Displasia Cemento Óssea Periapical e Displasia Cemento Óssea Florida – XLVI

As lesões fibro-ósseas, de modo geral, são caracterizadas pela substituição idiopática do tecido ósseo sadio por tecido fibroso que se mineraliza ao longo do tempo. O termo “lesão fibro-óssea” descreve apenas um processo de patogênese, mas não representa um diagnóstico específico. Em outras palavras, existem várias patologias designadas como entidades fibro-ósseas; algumas podem ser diagnósticadas apenas por intermédio do exame

Leia mais

2
abr

Infecções Odontogênicas: Correlações Anatômicas, Imaginológicas e Clínicas – XLV

Para quem desconhece a anatomia, patologia se torna adivinhação. Diante desta assertiva de Paul Goaz, o estudo da anatomia, que é pedra angular em toda e qualquer ciência da área da saúde, deve ser sistemático e bem dirigido dada a grande extensão que a disciplina possui. Em virtude da possibilidade da observação de estruturas anatômicas ósseas/minerais nos três planos seccionais,

Leia mais

2
mar

Lesão Central de Células Gigantes – XLIV

Esta patologia possui uma vasta sinonímia. A denominação de “Lesão” Central de Células Gigantes (LCCG) se dá em virtude de sua etiologia pouco compreendida, além da controversa e discutível classificação da entidade. Neville, em 2009, cita três nomes diferentes para a mesma entidade: Granuloma Central de Células Gigantes, Tumor de Células Gigantes e Lesão Central de Células Gigantes. Ainda mais

Leia mais

3
fev

Mixoma Odontogênico – XLIII

O mixoma odontogênico é uma neoplasia benigna, de origem mesenquimal, localmente agressiva, de crescimento lento e usualmente indolor. Afeta uma ampla faixa etária, onde indivíduos de 30 anos são os mais acometidos, não havendo predileção pelo gênero. Podem ocorrer tanto em tecidos moles quanto em tecido ósseo. Os mixomas que acometem o tecido ósseo são exclusivos dos maxilares e acredita-se

Leia mais

2
jan

Osteófito em Cabeça da Mandíbula – XLII

A Articulação Temporomandibular interliga a mandíbula à base do crânio; a ATM atua simultaneamente com sua correspondente contralateral e, em conjunto com o potente tônus muscular dos elevadores e abaixadores da mandíbula, há a realização dos movimentos de abertura, fechamento, lateralidade, protrusão e retrusão. Por definição, a ATM é uma articulação sinovial: as superfícies articulares são recobertas por uma cápsula

Leia mais

2
dez

Ramo Acessório do Canal da Mandíbula – XLI

O nervo alveolar inferior -NAI – é um ramo do nervo mandíbular, a terceira divisão do nervo trigêmeo (V par craniano). O nervo mandibular penetra o interior da face lingual do ramo da mandíbula através do forame da mandíbula; o NAI tem seu trajeto no interior do canal da mandíbula, assumindo a direção inferior e vestibular, até emergir na face

Leia mais

1
nov

Fratura em Mandíbula – Aspectos Radiográficos e Considerações Funcionais – XL

O crânio é composto por duas partes: Neurocrânio e Viscerocrânio. O Neurocrânio compreende o revestimento ósseo do encéfalo e suas meninges. O Viscerocrânio, ou Esplancnocrânio compõe os ossos da face; uma das funções do Viscerocrânio é proteger o Neurocrânio, em virtude de seus componentes nobres.   A mandíbula, local de alicerce dos dentes do arco inferior, compreende o próprio terço

Leia mais

3
out

Estudo das lesões odontogênicas com repercussão nos Seios Maxilares (Parte 3) – XXXVIII

As raízes dos dentes do arco superior possuem relação de contato/proximidade com o assoalho do seio maxilar. Por essa razão, eventuais lesões odontogênicas (inflamatórias, císticas e/ou tumorais) de dentes superiores podem provocar o rompimento da parede inferior/assoalho do seio maxilar e repercutir em seu interior. Nestes casos, a membrana sinusal, como manobra de defesa, forma um espessamento mucoso, que em

Leia mais