A Tomografia Computadorizada Cone Beam aplicada à Implantodontia

A Tomografia Computadorizada Cone Beam (TCCB) tem grande valor no auxílio ao planejamento em implantodontia: além de permitir a observação da morfologia do processo alveolar da maxila e da mandíbula, pode-se obter medidas de sua altura e espessura em tamanho real.

1

Vista panorâmica e cortes transversais da mandíbula, lado esquerdo, em região correspondente ao dente 36.

 

 

2

Vista panorâmica e cortes transversais da maxila, lado direito, em região correspondente ao dente 16. A seta indica imagem compatível com material de enxertia

 

Também em casos de instalação de material de enxertia, a tomografia computadorizada constitui uma importante ferramenta na avaliação do acréscimo de altura/espessura nas respectivas regiões.

 

3

Cortes transversais da maxila, lado direito. Região correspondente ao dente 16 – há implante dental instalado na região. É possível verificar imagem compatível com material de enxertia.

O implantodontista, em dadas situações, precisa avaliar o nível de inserção óssea, o grau de uma reabsorção (perda óssea) ou uma rarefação periimplantar, ou até mesmo pesquisar a presença de uma fratura em um implante dental. Por isso, se faz necessária a observação do implante em 3 dimensões, nos sentidos vestíbulo lingual, mésio distal e supero inferior. Esta observação só pode ser obtida por meio da TCCB.

Vista panorâmica e cortes sagital e axial da mandíbula. Os implantes instalados nas regiões correspondentes aos dentes 47 e 46 mostram imagem hipodensa (setas) compatível com rarefação óssea periimplantar que estende-se até o canal da mandíbula, com solução de continuidade do teto deste.

Vista panorâmica e cortes sagital e axial da mandíbula. Os implantes instalados nas regiões correspondentes aos dentes 47 e 46 mostram imagem hipodensa (setas) compatível com rarefação óssea periimplantar que estende-se até o canal da mandíbula, com solução de continuidade do teto deste.

 

Em casos em que a rarefação periimplantar estende-se a reparos anatômicos, o paciente pode apresentar um quadro clínico de dor, como no caso abaixo.

 

 Vista panorâmica, cortes coronal e axial mostrando implante dental instalado na região correspondente ao dente 44; observa-se imagem compatível com rarefação óssea periimplantar (L) que mantém contato com a emergência do forame mentual.


Vista panorâmica, cortes coronal e axial mostrando implante dental instalado na região correspondente ao dente 44; observa-se imagem compatível com rarefação óssea periimplantar (L) que mantém contato com a emergência do forame mentual.

 

A TCCB é útil ainda na identificação de fraturas em implantes dentais. O caso a seguir mostra fratura no terço cervical, por vestibular, em implante dental instalado na região do dente 37.

 

6

Corte axial, coronal e sequência de cortes de sagitais mostrando fratura (M) em implante dental instalado na região correspondente ao dente 37.

 

 

A Tomografia Computadorizada Cone Beam aplicada à Implantodontia
Avalie

Comments are closed.